sexta-feira, 9 de junho de 2017

#TagLiterária Aladdin

Hoje eu estava lendo a Tag Aladdin no blog da Rose (Fábrica dos Convites) e achei a tag bem divertida e uma forma simples de deixar nossas impressões sobre livros lidos.
A Tag tem origem no Instagram do Lendo e Escrevendo, somente devemos relacionar os livros com os personagens.

Agora segue a minha:

Aladdinum livro pelo qual você não deu nada e te surpreendeu. O meu é: 

Eu li acreditando que seria uma simples história de família e foi muito melhor do que pensei! 
É lindo.

Gênioum livro que faz estripulias no enredo. O meu é:

Esse livro é hilário e a Bridget é divertidíssima! 
O filme já não é tão divertido...rs

Jafar:  um livro que te hipnotiza do começo ao fim.
Esse livro me prendeu de uma forma que tudo o que eu mais queria era saber como ia terminar,
ele é intenso, de guerra! 

*Escaravelhoum livro que você quis ter por muito tempo e finalmente conseguiu.
Comprei, mas ainda não li. 
Sempre vejo resenhas positivas e em breve vou ler!

Jasmine: um livro que você acha que não é para o seu bico.
Não gosto de sentir medo quando leio.
Me sinto muito mal, ainda mais porque já vi o filme.

Sultãoum livro bobo que acha que vale alguma coisa e na verdade não vale nada.
Ai gente achei esse livro um absurdo.
#Pronto, falei.

Abuum livro que não sai do seu lado.
Honestamente a mensagem que 
esse livro me trouxe é inesquecível.

Eu vi essa Tag e fiquei com vontade de responder.
Fiquem à vontade para se divertir comigo e me enviem seus links para que eu visite vocês também.
Beijos! 





domingo, 4 de junho de 2017

O Arroz De Palma por Francisco Azevedo



Sinopse: Primeiro romance a tratar da imigração portuguesa para o Brasil no século XX, O ARROZ DE PALMA narra a saga de uma família em busca de um futuro melhor, superando diversas dificuldades. Nos cem anos em que acompanhamos suas vidas, irmãos brigam e fazem as pazes. Uns casam e são felizes, outros se separam. Os filhos ora preocupam, ora dão satisfação. Tudo sempre acompanhado pelo arroz jogado no casamento dos patriarcas, José Custódio e Maria Romana, em 1908. Grão que serve de fio condutor desta história, como migalhas de pão jogadas no labirinto da memória.

Estréia na literatura do roteirista e dramaturgo Francisco Azevedo - autor das peças Unha e carne e A casa de Anais Nin, sucessos de público e crítica -, o livro começa com Antônio, filho de José e Maria, aos 88 anos, preparando o almoço que será servido à família, finalmente reunida após muito tempo. Enquanto combina os ingredientes, vão se misturando em sua mente as histórias que Tia Palma, irmã de seu pai, lhe contava. Mitologias familiares, que gravitam em torno desse arroz e também em torno das dificuldades em se largar uma terra amada por um futuro duvidoso.

No casamento dos pais, em Viana do Castelo, norte de Portugal, seguindo a tradição, o casal saiu da igreja sob uma chuva de arroz. Recolhido por Palma, esses 12 quilos de arroz foram acompanhando a família, sendo fundamentais em vários momentos. Como quando, para tratar da infertilidade da cunhada e do irmão, Palma dá a ele um laxante e depois prepara uma canja com esse arroz. O mesmo que ela presenteia ao sobrinho Antônio no dia de seu casamento. Uma união selada num almoço em que a família serviu esse arroz com bacalhau. O ARROZ DE PALMA é um romance delicado, que emociona e comove. Com um certo ar de Isabel Allende, a trama tem um forte componente sentimental. Uma nostalgia por um tempo em que a família abrigava as pessoas. Um ideal que, portugueses ou não, todos herdamos.

Resenha: Palmas Para A Santa Trindade

Li esse livro em doses pequenas... 
Senti que essa família tinha muita coisa da minha... Pensei nos trechos que mais tocaram meu coração e foi como se eu estivesse na mesa com minha avó conversando, momentos especiais para mim... Minhas duas avós gostavam de conversar enquanto preparávamos os ingredientes para cozinhar ou deixávamos a mesa posta para o café no dia seguinte após uma boa partida de tranca. Foram ótimas conversas que sempre me abriam os olhos.
Esse livro é assim, doce, amargo, salgado, azedo e apimentado, mas com boas lembranças.
Antonio é um senhor que guarda dentro de si memórias que são verdadeiras reflexões, momentos refinados de família. Tenho muito para  pensar agora sobre cada passo desse prato difícil de preparar e que saibam todos que esse livro é um dos melhores pratos que já pude apreciar, um livro com essência perfumada de arroz e da melhor qualidade!

Esse livro foi publicado pela Editora Record e é lindo! 

domingo, 21 de maio de 2017

O Ar Que Ele Respira (Elementos #1) de Brittainy C. Cherry



Sinopse: Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

Romance / Literatura Estrangeira

Resenha: Aconteceu
Um romance bem desenvolvido.
A história tem personagens perfeitos que se entrelaçam num drama comovente e muito sedutor. Os personagens principais são Elizabeth e Tristan que carregam em comum uma carga de sofrimento tão intensa que nos faz sentir e imaginá-los como num filme.
Temos Ammy uma garotinha inteligente que encontra num cachorro o amigo que estava precisando, talvez o rumo das coisas mude tudo...
Nos resta saber como tudo se conecta e o por que dos encontros serem tão intensos, agressivos, dolorosos e tão necessários.
Simplesmente eu adorei, é um romance hot, forte e lindo!

terça-feira, 18 de abril de 2017

Não Queira Saber de Lisa Jackson



Sinopse: Neste envolvente suspense, o pior temor de uma mãe é apenas o começo de um apavorante pesadelo...

Todas as noites, em seus sonhos, Ava vê o filho, Noah. Porém, quando ela acorda, é novamente arrebatada pela verdade aterradora: Noah desapareceu há dois anos, e seu corpo nunca foi encontrado. Quase todos, inclusive Wyatt, o marido meio ausente, supõem que o menino tenha se afogado após cair do cais próximo a sua casa, na Ilha Church. Ao longo desse período, Ava passou a maior parte do tempo internada em hospitais psiquiátricos de Seattle, arrasada pelo luto e incapaz de recordar os detalhes do desaparecimento do filho. Contudo, à medida que suas faculdades mentais voltam ao normal, as suspeitas aumentam. Apesar da preocupação que os outros demonstram, ela não consegue se livrar da sensação de que a família e a psiquiatra sabem mais do que dizem. Será apenas preocupação com o seu bem-estar? Ou medo de que Ava descubra alguma coisa? Estará enlouquecendo? Será que Noah ainda está vivo? Ava não irá desistir enquanto não obtiver respostas; a verdade, contudo, é mais perigosa do que ela imagina — e o preço talvez seja mais alto do que espera pagar.

Romance policial / Suspense e Mistério / Terror

Resenha: Desesperador

Nesse livro senti o pânico de uma mãe ao saber que seu filho ou está desaparecido ou está morto!
Sabendo que está sendo medicada durante muito tempo, Ava sente que algo está diferente, as pessoas ao seu redor lhe falam coisas que fazem sentido durante um tempo e logo após o amanhecer nada mais tem o mesmo significado... Como saber se sua sanidade está intacta ou está completamente comprometida devido ao ocorrido... O que exatamente falta para fazer sentido, como fazer para encontrar alguém para confiar, alguém que seja realmente idôneo...
Eu me senti desesperada, fora do meu eixo ao me imaginar nessa situação.
No final das contas o livro tem a escrita meio arrastada devido aos detalhes que farão total diferença no final! Recomendo para quem gosta de filmes de suspense, realmente é o que parece!

Brutal - Detetive Sean Corrigan # 1 de Luke Delaney



Sinopse: O que levaria alguém a golpear outra pessoa na cabeça e, na sequência, esfaqueá-la 77 vezes? O garoto de programa Daniel Graydon jamais imaginaria que encontraria tamanha perversão nos clientes com quem saía. Mas viu seu fim se aproximar ao ir contra sua regra de ouro: nunca levar os homens para casa. Seu parceiro sexual e algoz, porém, tinha algo de sedutor e era difícil recusar a proposta de uma noite regada a sexo, e muito bem paga. Daniel tornara-se apenas uma das vítimas de um personagem sombrio, cuja pulsão pela morte o levava a matar com regularidade e método. Cada morte representando um passo adiante no aperfeiçoamento da macabra arte de tirar vidas: cruel, dolorosa, limpa e sem pistas. Um desafio para a polícia de Londres e sua divisão de Crimes Graves do Grupo Sul, liderada pelo atormentado detetive-investigador Sean Corrigan.

Brutal é o primeiro thriller policial de Luke Delaney, que serviu por muitos anos na polícia londrina investigando crimes diversos, dos cometidos por assassinos em série aos resultados de conflitos entre gangues e máfias. Nos livros de Delaney, Sean Corrigan é o herói que encarna a missão de desvendar mortes e descobrir quem os cometeu, e fazê-los pagar. O violento passado do detetive fez com que ele desenvolvesse a incrível habilidade de reconhecer o mal onde quer que ele esteja. Ele sabe que precisa ser rápido o bastante para evitar que o assassino faça sua próxima vítima.

Romance policial / Suspense e Mistério

Resenha:CRUEL

Comecei a ler Brutal para sair da minha zona de conforto e posso repetir quantas vezes forem necessárias; esse livro me prendeu do início ao fim e é o melhor que li em 10 anos.
Luke Delaney vou sempre me lembrar desse nome, da força e da potência da sua escrita.
A visão de um assassino, forte, poderoso, maquiavélico e sadomasoquista. Do início ao fim vi um humano que tinha dentro de si muito mais que desejo, muito mais que conhecimento e muito mais que simples atitudes. Nesse livro está sua forma de pensar, seus instintos, seu lado animal.
Por outro lado temos Sean Corrigan um investigador que tem faro e um sentido apurado, com uma equipe que luta para estar à sua altura buscando por perfeição em cada detalhe.
Posso dizer que dei cinco estrelas porque esse livro realmente tem um desfecho inesperadamente sensacional.
Esse livro contém gatilho sobre estupro e violência extrema.
Policial é o meu gênero preferido e posso dizer que cada capítulo guarda uma surpresa diferente. Leia.

Confissões do Crematório de Caitlin Doughty



Sinopse: Ainda jovem, Caitlin conseguiu emprego em um crematório na Califórnia e aprendeu muito mais do que imaginava barbeando cadáveres e preparando corpos para a incineração. A exposição constante à morte mudou completamente sua forma de encarar a vida e a levou a escrever um livro diferente de tudo o que você já leu sobre o assunto.
Confissões do Crematório reúne histórias reais do dia-a-dia de uma casa funerária, inúmeras curiosidades e fatos filosóficos, históricos e mitológicos. Tudo, é claro, com uma boa dose de humor. Enquanto varre as cinzas das máquinas de incineração ou explica com o que um crânio em chamas se parece, ela desmistifica a morte para si e para seus leitores.
O livro de Caitlin – criadora da websérie Ask a Mortician – levanta a cortina preta que nos separa dos bastidores dos funerais e nos faz refletir sobre a vida e a morte de maneira inteligente, honesta e despretensiosa – exatamente como deve ser. Como a autora ressalta na nota que abre o livro, “a ignorância não é uma bênção, é apenas uma forma profunda de terror”.

Biografia, Autobiografia, Memórias / Literatura Estrangeira / Não-ficção / Romance policial / Suspense e Mistério

Resenha: A Morte Sempre Chega

Lendo essa preciosidade,muitas vezes pensei em abandoná-lo e ainda bem que não fiz isso!
Caitlin Doughty fala de forma crua sobre a morte. Fala como funciona um crematório, coisa que eu nem sequer imaginava ter curiosidade e aos poucos ela nos deixa confortáveis com a expectativa do dia de cada pessoa chegar. É o inevitável momento da despedida, da paralisação do corpo e de o que fazem com essa carcaça que nos choca e ao mesmo tempo, os exemplos citados por ela, nos faz sentir a fragilidade humana.
Eu tenho esperança da vida após a vida e muitas vezes a singularidade dos pensamentos de Caitlin me fizeram ver que as pessoas tem direito de acreditarem no que mais acalenta suas emoções.
A perspectiva de vida do ser humano hoje em dia é melhor e sempre será mais e mais prolongada devido aos alimentos e tratamentos existentes, mas a vontade de Deus na minha opinião sempre vai imperar. Nesse ponto a observação que Caitlin faz a respeito desse assunto concordo plenamente e foi a biografia mais intensa que já tive a oportunidade de ler! Aproveitem e leiam também, além do além há o enriquecimento da nossa cultura quanto ao assunto morte. Vocês vão gostar e se chocar, acreditem.

Cartas de Amor aos Mortos de Ava Dellaira



Sinopse: Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Ficção / Infantojuvenil

Resenha: Sentimento Intenso

Ao iniciar esse livro senti que estava lendo algo que tocaria meu coração. Quando comecei a ler sobre May e a forma como Laurel a descrevia, pensei em como é importante a cada minuto dar atenção para quem se ama.Como é frágil o ser humano e como uma palavra faz tudo ter um significado diferente.
Esse livro tocou meu coração e com certeza vocês vão amar as cartas para Amy Winehouse, as cartas para Kurt Cobain entre outros. E as cartas que eu mais gostei foram para Elizabeth Bishop que nos apresenta trechos de sua arte.
Um pequeno quote que vai conquistar vocês:
"Quando eu não conseguia dormir, ela dizia para eu me imaginar em uma bolha voando sobre o mar. Eu fechava os olhos e flutuava, ouvindo as ondas..."
Leiam e emocionem-se com toda história.Amei.

Lendo